Quem trabalha em um meio voltado a tecnologia e empresa de software, provavelmente ouviu o termo Startup alguma vez. Mas o que exatamente é uma Startup? Qualquer empresa recém-criada por ser considerada? Não é exatamente assim que funciona, uma Startup possui alguns requisitos, e vamos lhe explicar melhor agora mesmo!

Uma Startup se inicia geralmente através de uma base tecnológica. Com a crise da bolha da internet no final da década de 90, surgiram muitas empresas deste tipo, trazendo uma nova ideia de mercado e criando um novo rumo para novas empresas. No início, várias das chamadas empresas.com entraram no mercado, e elas são praticamente o início disso tudo.

Uma empresa.com são aquelas especialistas em venda online, como por exemplo a Amazon, O Submarino e Lojas Americanas, elas possuíam a vantagem de não ter exatamente um ambiente físico, e aproveitavam disso através de propagandas e instalações de luxo.

Para uma Startup começar a se tornar algo mais palpável, existe um processo de análise mercadológica e passa por um grande processo de desenvolvimento. Essa pesquisa de mercado envolve toda uma sapiência voltada a que tipo de investimento será feito, se a empresa se voltará para um nicho, ou se atenderá para um público geral. Tudo isso é muito importante para que rumo a Startup tomará no final. Vamos entender um pouco sobre tipos de investimento da Startup.:

Bootstrapping – a prática onde o próprio empreendedor que criou a Startup faz o investimento. Além do óbvio valor monetário para começar o negócio, também depende da experiência no segmento e do tempo do(s) criador(es).

Investimento-Anjo – este é um investimento ancorado por uma pessoa física, geralmente por alguém que foi um empreendedor ou ainda é, ele traz conhecimento e investimento para a Startup, atuando como um conselheiro. Apesar disso, ele não compõe uma posição de executivo na empresa, mas geralmente possui participação minoritárias na empresa. Claro que existem exceções onde compõe quadro, mas geralmente não é o desejável, justamente pelo tempo ser reduzido. A prática de dispor de recursos financeiros para a Startup é chamada de smart-money que traz esse nome justamente por ser aplicado em uma “causa” que pode girar o capital.

LoveMoney – um tipo de investimento diferente. Ao invés de apoiar a ideia em si que a Startup traz, o apoio é feito diretamente por quem está encabeçando os projetos, ou seja, é um investimento aquém da ideia. Geralmente, este tipo de investimento começa através de familiares e amigos próximos.

Capital de Risco  – assim como estratégia da bolsa de valores, o capital de risco investe na Startup para adquirir ações minoritárias, e posteriormente, com o crescimento da empresa vender e sair dela. Ele é considerado capital de risco justamente pelas possibilidades da Startup não conseguir atingir seus objetivos, ele se difere do Investimento-Anjo justamente pela aquisição não ter como obrigações dar conselhos ou ter experiência na área.

"Não tenha medo do fracasso. Tenha medo de não tentar.".

Roy T. Bennett

Desenvolvendo uma Startup

 

Existem várias formas de se desenvolver uma Startup, mas existem dois modos que ajudam muito mais quem está começando, são os métodos de Incubadoras e Aceleradoras.

Elas são bem similares em sua essência, mas possuem algumas diferenças que podem ser importantes para quem está começando uma Startup.

Aceleradora

Voltada para auxiliar as empresas as Aceleradoras abrem processos de inscrições que ficam em aberto e geralmente tendem a ser bem competitivos, isso se deve ao fato que eles investem alto grau financeiro para ter uma participação na Startup (empresa de software). A principal área de atuação é trazer os recursos para equipes, ao invés de investir apenas no individual de onde nasceram as ideias. Além disso, tratam muito a parte de Networking e mentoria.

Incubadoras

As incubadoras são voltadas para o desenvolvimento de ideias, geralmente oferecem uma infraestrutura e todo um processo gerencial, trazendo planos de negócios e erros e acertos, bem como melhores práticas. Diferente da aceleradora que faz um investimento monetário para o desenvolvimento em equipe, as incubadoras são mais voltadas para uma fábrica de ideias.

Startups Unicórnio

Falar de Startups sem citar as famosas empresas Unicórnio é impossível. Mas o que exatamente quer dizer isso?

Sabemos que existem várias empresas ao redor do mundo que tem seu valor monetários estimando na casa do bilhão, certo? Mas e se uma empresa antes de abrir capital na bolsa de valores chega a essa marca? Difícil? Impossível? Tal qual uma criatura mítica, é algo quase impossível, e por isso, uma Startup que atinge tal marca, é chamada de Startup Unicórnio.

Quando o termo foi citado em 2013 por Aileen Lee o quadro de Startups que atingia esse feito era menor do que cem. Em 2018, a marca chega a quase 300, e conta inclusive com startups brasileiras. A 99Táxis e o Nubank declararam que seu valor fica acima de um bilhão, entrando com louvor na lista. Dentre as mais valiosas Startups, podemos citar o nome também do Airbnb, site que trabalha com hospedagens mais baratas e caseiras, e o Uber, uma alternativa para os Táxis que ganhou notoriedade nos últimos anos.

 

ERP para Startups

É muito importante para uma startup ter o controle de todos os processos da empresa. Seja um fluxo de caixa, ou uma rotina de estoque, isso não pode ser uma preocupação que roube as ideias. Para isso, muitas startups buscam também um ERP para esse controle de gestão.

Para uma empresa emergente, é necessário possuir todo o conhecimento em mãos, se você pensa em ter uma Startup (empresa de software), pode nos procurar para um orçamento, que será um prazer ajustar ao seu negócio. Venha nos procurar para tirar suas ideias do papel!

 

Até o Próximo Artigo.

 

Escrito por Fernando Cunha – Especialista e Empreendedor em Negócios Online.