fbpx
Novo Aprenda Conosco

Como criar um aplicativo: o guia definitivo

Antes de tudo, quero te parabenizar por tomar a iniciativa de buscar conhecimento e sair da sua zona de conforto. É muito importante ser proativo e buscar sempre se atualizar e evoluir. Nossa missão através desse artigo é tirar você do ponto zero e te passar todas as informações essenciais para começar a criar seu primeiro aplicativo. Portanto, não deixe de ler nenhuma etapa a seguir, pois tudo que está neste artigo será essencial na sua jornada. Vamos lá?

 

Como criar um aplicativo: Planejamento

Pessoa usando celular

A princípio, seu aplicativo começará no papel e passará por uma série de análises que levantam requisitos, definem seu público e mapeiam gastos.

O Planejamento é uma das principais etapas para desenvolver um aplicativo. Ele é essencial para que o desenvolvimento aconteça com clareza e entregue um resultado que atenda suas expectativas, além de evitar que os gastos saiam do controle e extrapolam seu orçamento. A seguir listamos as principais perguntas que você deve saber responder antes de começar seu aplicativo.

 

Qual o objetivo do meu aplicativo?   

 

Pode-se dizer que esta é a pergunta mais importante a ser respondida, já que a criação do seu aplicativo gira em torno dela. 

Saber o objetivo do seu aplicativo significa identificar qual necessidade ou desejo do mercado ele busca atender

Você perceberá que durante toda a jornada de criação, muitas decisões serão baseadas no objetivo do seu app e no público que ele procura atender.

Aliás, os desenvolvedores farão diversos testes e verificações durante a jornada para garantir que o aplicativo está cumprindo aquilo que ele se propôs no planejamento.

Analisar a concorrência que você enfrentará também é vital para o crescimento e sobrevivência do seu app no mercado. Saiba quem são seus concorrentes e qual o potencial competitivo deles.

Na área de administração existe uma ferramenta muito utilizada chamada de análise SWOTA proposta dela é analisar uma empresa ou produto, a fim de listar forças e fraquezas internas e oportunidades e ameaças externas.

Análise SWOT

 Tente aplicar essa ferramenta na concorrência e em você mesmo para obter insights e o que é preciso para obter vantagem competitiva. 

Quer saber mais sobre como como analisar sua ideia e a concorrência? Leia mais no link a seguir: Como fazer análise SWOT

 

Qual é a persona do meu aplicativo?

 

Antes do seu aplicativo começar a ser desenvolvido, é muito importante entender para quem ele está sendo criado e como essa pessoa pensa e age.

Uma ferramenta muito utilizada pelo marketing é a criação de uma persona. Que consiste em estudar o seu público e criar o cliente ideal baseado nos dados recolhidos.

A ideia é que a descrição da sua persona seja detalhada e profunda 

Isso torna possível que seu aplicativo seja criado de maneira pensada, para que ele mexa com a imaginação da sua persona e faça parte do universo dela. Além de tornar a comunicação através do aplicativo mais eficiente e sincronizada com o usuário. 

A seguir estão listadas algumas informações valiosas para a montagem da sua persona:

  • Gênero;
  • Idade;
  • Ocupação profissional;
  • Renda salarial;
  • Estado civil;
  • Dor ou necessidade a ser resolvida;
  • Sonho;
  • Medo;
  • Hábitos de consumo.

Exemplo de persona desenvolvida para uma profissional de massagem:

 

Mariana Pereira, 30 anos, arquiteta, classe média alta, casada, tem dois filhos, mora no bairro trindade.

Não tem tempo para malhar e recorre a massagem modeladora para deixar o corpo mais definido. Seu sonho é ter o mesmo corpo antes de engravidar. Seu medo é de não poder ter esse tempo para relaxar, visto que tem uma rotina agitada. É uma cliente fiel e adquire pacotes anuais.

Lembrando que essas informações não são imaginadas, mas sim recolhidas através de clientes reais. 

Alguns podem achar que desenvolver uma persona é uma perda de tempo e não contribui em nada para o desenvolvimento do app. Mas não se engane por esse pensamento, pois sem termos um público ou persona para qual desenvolvemos o aplicativo, acabamos tomando muitas decisões pelo achismo e criando um produto para nós mesmos.

Quer saber mais sobre sua persona? Leia mais a respeito no link a seguir: Como fazer uma pesquisa de personas

 

Como criar um aplicativo: decisões importantes

Agora que você sabe responder com clareza as duas perguntas anteriores, as seguintes decisões serão mais fáceis de serem tomadas.

Baseado no objetivo do seu aplicativo e na sua persona, você precisa definir o sistema operacional no qual seu app irá funcionar, o tipo do app e a plataforma na qual ele será distribuído digitalmente.

Sistema operacional

Logo AndroidLogo apple iOS

A escolha do sistema operacional depende do sistema mais utilizado pela sua persona, sendo os principais, atualmente, Android e iOS. Essa decisão também vai depender dos requisitos funcionais do seu app (falaremos mais sobre isso a frente), no entanto, não existe razão em desenvolver um aplicativo para um sistema operacional que seu público não utiliza, correto? Portanto, não deixe de ter essa informação para fazer a melhor escolha.

Quer saber mais sobre Android e iOS? Acesse o link a seguir: Android vs. iOS

Leia mais:  Aplicativo e Indústria 4.0: Inovação na Produção

Plataforma de distribuição

Logo google playlogo app store

O mesmo vale para a plataforma na qual será distribuído o app. É preciso saber em que marketplace, site ou loja seu público e persona estão presentes, para que seu app tenha visibilidade e possa ser baixado com facilidade pelas pessoas.

Caso contrário, seu aplicativo terá sérios problemas para ser encontrado pelo seu público.  

 

Como criar um aplicativo: Definindo um MVP

O próximo passo para iniciar a jornada de criação é criar um MVP.

Um MVP ou Produto viável mínimo (Minimum viable product) é um conceito nascido das startups, que consiste em elaborar um produto com o mínimo de recursos necessários, mas que seja capaz de cumprir a sua proposta de valor e seja testável no mercado.

Aplicando este conceito no desenvolvimento de apps, você deve pensar numa primeira versão do seu aplicativo com as funcionalidades obrigatórias que garantem que seu aplicativo fará o que ele propõe.

Um bom exemplo de MVP é o site criado anteriormente pela Amazon:

MVP Amazon

 

 

A Amazon começou como uma livraria que tentava apresentar uma solução mais prática para clientes. Antes, o mercado era dominado por livrarias físicas, como a Barnes and Nobles. Para testar, a Amazon criou um site com design bem simplificado e vendia apenas livros a preços baixos. Logo, cresceu e hoje é conhecida como “A Loja de Tudo”.

Quer saber mais sobre como criar um app MVP? Acesse o link a seguir: Como criar um app MVP

 

Engenharia de requisitos

A engenharia de requisitos engloba um conjunto de tarefas a serem executadas para gerar uma documentação de requisitos. 

Tudo o que estiver contido no documento possibilitará que o aplicativo seja criado, atualizado e reparado sempre que necessário de acordo com o que foi inicialmente estipulado. 

Para a criação de um MVP, será necessário um levantamento de requisitos.

 

Como criar um aplicativo: levantamento de requisitos

Nesta etapa, são definidos todos os requisitos funcionais e não funcionais para que seja possível o funcionamento do app.

Requisitos funcionais

Aqui devem ser listados todos os problemas e necessidades que devem ser atendidos e resolvidos pelo aplicativo por meio de funções.

Exemplos:

  • Consultar o status de um pedido;
  • Realizar compras;
  • Comunicar-se com um atendente;
  • Elaborar relatórios;
  • Alterar informações de um registro;
  • Buscar pratos específicos em um cardápio.

Tudo o que for relacionado a uma ação a ser feita é considerado uma função. Tente deixar os requisitos funcionais o mais objetivo e o menos ambíguo possível. Isso garante que seu app realizará de fato o que ele se propõe.

Requisitos não funcionais

Enquanto os requisitos funcionais focam no que será feito, os requisitos não funcionais  pensam em como será feito. Portanto todos os pré-requisitos do sistema, de hardware, de software e operacionais são listados nesta etapa.

Exemplos:

  • Sistema operacional;
  • Consumo de memória;
  • Banco de dados;
  • Processamento;
  • Dispositivos suportados;
  • Conexão.

Não se esqueça dos recursos humanos, que também podem ser obrigatórios para o funcionamento do app, como por exemplo uma equipe especializada para administrar o app.

Se uma equipe de administração realmente for necessária, outros recursos provavelmente surgirão, como computadores ou smartphones de trabalho para os funcionários.

Geralmente, parcerias também são um recurso-chave para o funcionamento da maioria dos apps, que vão desde serviços que precisarão ser contratados até softwares externos que serão integrados ao aplicativo.  

Leia mais sobre requisitos funcionais e não funcionais

Tipos de aplicativo

Nativo: Um aplicativo nativo é aquele que é desenvolvido através de uma linguagem específica e para um determinado sistema operacional. Ou seja, são apps desenvolvidos especificamente para IOS ou Android e que são comumente encontrados nas lojas de aplicativos.

WebApp: Este tipo de aplicativo na realidade não é um app de verdade, e sim um site que se adapta aos dispositivos móveis, dando a impressão de ser um aplicativo. Alguns exemplos de Web App são o Youtube, Outlook e Google Drive.

Híbrido: O aplicativo híbrido é uma mistura dos tipos web e nativo. Ou seja, ele funciona como um app nativo, mas sua codificação é toda desenvolvida na linguagem web, que pode ser HTML5, JavaScript ou CSS, que funcionam perfeitamente tanto no Android quanto no iOS.

Saiba mais sobre os tipos de aplicativo e qual a melhor escolha para seu negócio

 

Mapeamento de gastos

Como você já deve ter percebido, criar um aplicativo gera diversas origens de gasto, portanto é muito importante mapear todas elas para controlar o orçamento e não extrapolar os valores.

Até esta etapa, já foram tomadas diversas decisões importantes que influenciam no valor a ser investido. 

Alguns exemplos de gastos a serem considerados: 

  • contratação de desenvolvedores; 
  • equipes de administração do app; 
  • serviços contratados; 
  • campanhas de publicidade;
  • conta de publicador na play store e apple store.

 

Leia mais:  Sistema Web: o que é e como funciona?

Monetização

 

Esta etapa é fundamental para que seu app tenha um ROI (Retorno sobre investimento) positivo e consiga se sustentar.

Existem muitas maneiras de ganhar dinheiro através do seu aplicativo. A seguir alguns exemplos:

  • Download pago (App pago);
  • Compras no aplicativo;
  • App com período de teste;
  • Aplicativo Freemium (Planos gratuitos e pagos);
  • Publicidade no aplicativo;
  • Paywalls (conteúdos desbloqueados através de pagamento).

Saiba mais sobre como monetizar um aplicativo

 

Como criar um aplicativo: Esboço do aplicativo

esboço de aplicativo

O esboço do aplicativo, também chamado de wireframe, é a última etapa antes do desenvolvimento acontecer realmente, portanto deve ser feito com muita atenção. Organize todas as ideias que você teve ao longo do planejamento e, através de um papel, tente estruturar seu app, ilustrando as telas e traçando como o usuário acessaria todas as funcionalidades e caminhos.

Não é necessário ilustrar algo muito elaborado, pois são apenas esboços, mas isso servirá como guia para o design final que será baseado na interface e experiência de usuário. Não necessariamente o seu fluxo será validado pelo profissional desenvolvedor, mas certamente servirá de guia para a versão final.

Quer saber mais sobre wireframe? Clique no link a seguir: Como planejar as telas de um aplicativo?

 

Como criar um aplicativo: Desenvolvimento

pessoa desenvolvendo aplicativo

Finalmente é hora de pôr a mão na massa e colocar em prática o que foi planejado!

Desde já, sugiro que você conte com o auxílio de uma equipe especializada terceirizada. Desenvolver é uma atividade complexa e que exige mesmo muito tempo de estudo e prática.

Isso pois diversos conhecimentos técnicos e teóricos diferentes são exigidos.

Estes são alguns conhecimentos essenciais para o desenvolvimento de um app:

  • Design UX (experiência de usuário);
  • Design UI (Interface do usuário);
  • Linguagens de programação;
  • Lógica de programação;
  • Banco de Dados;
  • Gestão de projetos;
  • Inglês.

Existem diversas opções de empresas de desenvolvimento de apps no mercado, que contam com equipes completas e preparadas para atender sua solução.

Porém, mesmo que o desenvolvimento seja terceirizado, ainda é importante entender como esse processo funciona para ter uma boa comunicação com os profissionais envolvidos e compreender pelo que cada um deles é responsável na criação do seu app.

Construção do design do aplicativo

Este é o momento em que toda a aparência, identidade visual, e interações do aplicativo serão projetadas. Nesta etapa os conhecimentos de design UX e UI serão essenciais para um trabalho de qualidade.

Esta atividade é muito importante para que seu app tenha uma interface intuitiva, fácil e agradável de ser utilizada. Um bom aplicativo não é apenas bonito e agradável visualmente, mas que além disso, seja funcional e entregue a sua proposta de valor.

Design UX

O termo Design UX significa “User Experience Design” que traduzido significa design de experiência do usuário, portanto esta parte do design é focada em garantir que o usuário tenha a melhor experiência de uso possível com a aplicação.

O profissional de UX deve estar muito bem alinhado com os objetivos do cliente e a persona para qual o app se destina, pois um dos desafios deste designer é criar um equilíbrio entre cliente e público, e desenvolver um produto que atenda os interesses de ambos.

Esta é uma matéria multidisciplinar, que envolve diversos conhecimentos como pesquisa de produto, compra e venda, arquitetura da informação, visual design, psicologia, storytelling etc.

um dos pilares do UX Design é o Design Centrado no Usuário, que implica em manter o foco no usuário para a tomada de decisões no desenvolvimento do app, levando em conta suas necessidades e objetivos. Portanto, esta parte do design não fica apenas na parte visual e estética, mas dá uma grande carga de atenção para fazer com o que o usuário sinta satisfação e sensação de recompensa durante e após a utilização do aplicativo.

Saiba mais sobre Design UX

Design UI

U.I. é a abreviação de user interface, que traduzido para o português significa interface de usuário. O Design UI é a parte do design responsável por criar e planejar a estrutura de navegação pela qual o usuário irá interagir com o aplicativo, sendo o principal objetivo deste profissional garantir que o usuário chegue até o que ele precisa através de um caminho intuitivo e auto explicativo.

Essa interação entre usuário e plataforma pode ser feita através de botões, links, menus e outros elementos.

Diferença entre Design UX e Design UI

Antes de tudo, é importante dizer que estas duas partes do design estão diretamente conectadas e precisam se complementar para que se atinja um design satisfatório. No entanto, podemos diferenciar as duas áreas dizendo que enquanto o Design UI foca mais no lado racional do usuário e busca criar uma ponte de comunicação entre ele e o aplicativo, o Design UX olha mais para o lado emocional do usuário e pensa em como é essa ponte de comunicação, isto é, como ela afeta a pessoa e como aquela experiência faz ela se sentir.

Leia mais:  Aplicativos Para Funcionários: Tipos e Vantagens

Ficou na dúvida? Clique no link a seguir e saiba tudo sobre a diferença entre Design UX e UI 

Programando o aplicativo

Ambientes de desenvolvimento integrado

Para desenvolver a plataforma do aplicativo, será usado um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE), que é um software que reúne as ferramentas comuns de desenvolvimento em uma única interface gráfica, facilitando todo o processo de criação.

Alguns exemplos de IDE são:

  • Visual Studio;
  • Eclipse;
  • Aptana;
  • Android Studio;
  • X Code.

Saiba mais sobre Ambientes de desenvolvimento integrado

Kits de desenvolvimento de software

Os SDKs (software development kit) reúnem bibliotecas, exemplos de códigos, notas técnicas, depuradores, compiladores, APIs, dentre outros utilitários que permitem manipular arquivos necessários durante o desenvolvimento de aplicações.

Cada SDK possui especificidades como a linguagem de programação e plataformas específicas. Portanto, existem SDKs como Android SDK e iOS SDK feitos para um respectivo sistema operacional.

Linguagens de programação

As linguagens de programação a serem envolvidas irão depender do tipo de aplicativo escolhido para produção. Portanto, cada tipo irá trabalhar com linguagens específicas.

Apps nativos: Android – Java ou Kotlin ; iOs – Objective-C ou Swift

Apps híbridos: Javascript e Dart

Web Apps: Javascript ou PHP e ferramentas como HTML5 e CSS3

Clique no link a seguir e saiba mais profundamente sobre linguagens de programação mobile

Frameworks

Um framework é um conjunto de códigos prontos que podem ser usados no desenvolvimento de aplicativos e sites. O objetivo dessa ferramenta é aplicar funcionalidades, comandos e estruturas já prontas para garantir qualidade no desenvolvimento de um projeto. Cada framework é criado para uma linguagem específica

Podemos dizer que entre as principais vantagens de um framework está a de terminar um projeto em um tempo menor e com alguma garantia de qualidade.

Tipos de desenvolvedores  

Existem três tipos de desenvolvedores: Front End, Back End e Full-Stack

Desenvolvedores Front-end são responsáveis pela parte do app que interage diretamente com o usuário, portanto são eles que dão vida a interface do aplicativo e são grandes influenciadores na experiência do usuário.

Desenvolvedores Back-end são responsáveis pelos “bastidores” do aplicativo e são especializados em regra de negócio e banco de dados, portanto são eles que garantem o funcionamento adequado do app e suas funcionalidades.

Desenvolvedores Full-Stack são o melhor dos dois mundos e trabalham tanto no front-end quanto no back-end e são capazes de entregar um projeto do início ao fim, no entanto, são profissionais raros e valorizados no mercado, devido à grande amplitude de conhecimento necessário para se tornar um desenvolvedor Full-Stack.

Para desenvolver um app, no mínimo serão necessários os desenvolvedores front-end e back-end. Dependendo da complexidade do seu app, serão exigidos mais ou menos desenvolvedores.

Como criar um aplicativo: Testes e ajustes necessários

 

Durante o projeto, diversos testes serão realizados a fim de garantir o melhor resultado possível do app e certificar que ele está estável e não apresenta mais erros.

Os testes são fundamentais, pois só através deles é que surgem os problemas para serem corrigidos.

Alguns testes realizados são os de:

  • Usabilidade
  • Segurança
  • Integração
  • Performance
  • Instalação
  • Funcional

É importante que usuários reais também tenham a chance de experimentar e testar o app, para obter um olhar externo sobre a aplicação e gerar feedbacks valiosos para o resultado final. 

Conheça outros testes feitos no desenvolvimento mobile

Como criar um aplicativo: lançamento

 

 

Enfim a hora mais esperada. Com o aplicativo já testado e pronto, é hora de realizar o lançamento do app.

Para hospedar o app em um servidor, os custos podem ser de R$ 500 a R$ 30.000 mensais. Comece com uma hospedagem barata se não espera ter um grande volume de pessoas acessando o app inicialmente.

Se seu app for lançado em lojas como Apple Store e Play Store, será necessário ter uma conta de developer ou Publisher, que por sua vez são pagas. Atualmente uma conta na Apple Store custa US$ 90 anuais, enquanto uma conta na Play Store custa US$ 25 uma única vez.

 

Pós-lançamento

Além de um bom desenvolvimento, é muito importante ter uma boa estratégia de marketing para que seu app chegue até o público-alvo e tenha um lançamento de sucesso.

Portanto, após o lançamento, fique atento aos dados analíticos do seu app para tirar insights e tomar decisões inteligentes de marketing, para aprimorar cada vez mais a experiência do usuário e escalar o seu app.

Só através de um processo constante de análise, implementação e verificação dos dados analíticos do seu app que ele sairá de uma versão MVP e se tornará um app grande e avançado.

A Mestres da Web deseja uma boa sorte na sua jornada de criação e esperamos que nosso conteúdo tenha te ajudado a entender como criar um aplicativo!  Obrigado por ler até aqui!

Spread the love

Posts Relacionados

Fábrica de Aplicativo

Como criar um aplicativo: o guia definitivo

https://www.youtube.com/watch?v=J1jk0Nn6eIc Antes de tudo, quero te parabenizar…

Fábrica de Software

O que é uma Software House e o que fazem?

Diante da era digital em que vivemos,…

Fábrica de Aplicativo

Sistema Web: o que é e como funciona?

Ao passo que o mercado se torna…

Victor Ricco Victor Ricco

Analista de SEO